Opinião


Brasil Salomão

D O I S       A N I V E R S Á R I O S

Em dezembro de 2016 podemos comemorar 2 importantes aniversários que guardam referibilidade com o atual momento da política brasileira , nosso sistema democrático, e, o futuro incerto dos caminhos do Poder Executivo ( leia-se Michel Temer) e do Poder Legislativo ( leia-se Renan Calheiros).


            A primeira data, pouco estudada em nossos bancos escolares, é aquela de dezembro de 1921, quando 2 deputados, Rodrigues Machado e Americano do Brasil ( meu xará), apresentaram em corretíssimo português, um projeto de lei, para ser aprovado pela Câmara Federal, propondo que nas comemorações do centenário da Independência ( setembro de 1.922 – ano seguinte), já fosse lançada a pedra fundamental da nova Capital do Brasil.  Área no Planalto Central, do Estado de Goiás, já, inteiramente, demarcada pela comissão com o nome de “LUIZ CRULS”. Isso aconteceu, pois, há 95 anos! Em dezembro de 1921!


            A preocupação, bélica e defensiva, apostava no quesito segurança. É que, os recursos dos canhões e projéteis ( tipo obuses) eram limitados pela distância a ser percorrida, e, nesse aspecto, a linda cidade do Rio de Janeiro, então capital da República, estaria vulnerável ao alcance dos armamentos de “longa” e “média” distância, atirados de quaisquer navios ou submarinos que navegassem nas águas da marinha brasileira. 


            O que temos hoje: é uma Brasília, e um Distrito Federal, implantado em antigas terras do Estado de Goiás, e, sem quaisquer condições de defesa pelas REAIS armas de longo alcance. Um míssel atirado da Ásia, da África, da América do Norte, da Argentina(?????), qualquer que fosse sua origem geográfica, atingiria Brasília e com muita facilidade!  Nada mais a ser feito, em nível de segurança e defesa. Até porque Brasília, no momento, é a terra da loucura, da insanidade, da corrupção, do conflito entre os 3 Poderes que já deixaram de ser independentes e harmônicos entre si.   Não é possível, pois, dar os parabéns pelos  95 anos do projeto de lei que pedia a oficialização de – de  parte -  área do Estado de Goiás.


            De outro lado,   há 100 anos, Lênin, um dos grandes líderes da Revolução Russa,  conseguiu emplacar uma tese que rebaixou, tremendamente, a força do capitalismo.  Ele ( faz um século! )  demonstrou, com maestria, que o massacre das massas proletárias e populares, da 1ª grande guerra mundial, tinha tudo a ver com a fase expansionista do capitalismo, este, pois, o CAPITAL, sendo o responsável pela destruição da humanidade, pela pilhagem e pelas guerras.


            Lênin torna sólido o raciocínio que a continuidade da fase suprema do capitalismo condena a humanidade à barbárie. Disse, verbis: “SERÁ POSSÍVEL MODIFICAR, POR MEIO DE REFORMAS, AS BASES DO IMPERIALISMO? SERÁ POSSÍVEL AVANÇAR, AGUÇANDO E APROFUNDANDO AINDA MAIS AS CONTRADIÇÕES QUE O IMPERIALISMO GERA, OU RECUAR, ATENUANDO ESSAS CONTRADIÇÕES?”  Escrevendo sua obra política, denominada “QUE FAZER? TAREFAS CANDENTES DE NOSSO MOVIMENTO”, lançada em 1903, consegue desenvolver o método mais avançado de organização da classe . O comunismo cresceu muito, sobretudo após a 2ª Guerra Mundial quase que, geograficamente, dividindo o mundo em 2 partes.


            Assim, temos 2 aniversários que não devemos comemorar. O melhor é deixar de lado o capitalismo que, efetivamente, destrói, e, também o comunismo porque ficou superado historicamente, e, pensarmos num sistema misto: A TODOS UM MÍNIMO DE IGUALDADE, e, depois, A CADA UM SEGUNDO SUA CAPACIDADE.
           

Brasil PP Salomão - adv  <brasil@brasilsalomao.com.br


Enfoque Ribeirão
E-mail - enfoqueribeiaodigital@hotmail.com -
(16) 99232-7259 -3235.0865